BMW 2002 WEB SITE - PÁGINA SOBRE O MEU BMW 2002 / COMUNIDADE VIRTUAL BMW ANTIGOS
INÍCIO PESQUISA CONTACTOS
   
O MEU 2002:
  Fotos  
  Técnica  
 
OS BMW 02:
  História  
  Produção  
  Motorizações  
  Características  
  Cores e tintas  
  Extras de fábrica  
  Cotações  
  Alpina  
  AC Schnitzer  
  Os 12 Diana  
  Competição  
  Brochuras  
  Literatura  

 

EVENTOS:
  Agenda  
  Fotos  
 
SERVIÇOS:
  Downloads  
  Ligações  
 
REDES SOCIAIS:
  Facebook  
  Youtube  
 
CONTACTOS:
 

 
 

 

OS BMW 02 NA COMPETIÇÃO

  Bookmark and Share

 

 

Resumo

 

Na altura em que o 2002 foi apresentado, em 1968, a reputação desportiva da BMW, já era uma imagem de marca. Embora os saloons económicos construídos nos anos 50 não estivessem lá muito de acordo com a imagem desportiva que a BMW tinha ganho no fim da década de 30 com o legendário 328. Os anos 60 foram marcados pelo renascer dessa imagem, primeiro com o BMW 700, depois com o 1800TI e o 1800 TI/SA, e mais tarde com os modelos 02.

 

BMW 327

BMW 700

BMW 1800 TI

 

 

Foi durante 1967 que os BMW 1600-2 marcaram a sua presença no mundo desportivo, e o seu potencial era enorme que com a chegada do seu irmão com um motor de 2 litros seria ainda maior.

 

O 2002 provou ser um enorme sucesso nas pistas da Europa, e nos anos seguintes também marcou presença em Rallys e nos eventos Hillclimb. Para além da BMW Works Team, também a Alpina, a GS, a Koepchen e a AC Schinitzer e muitos privados a utilizarem os BMW 2002 para as corridas. Entre 1968 e 1972, existiam poucos eventos para carros do género saloon como o 2002, e como consequência disso, o BMW 2002 era reconhecido como o carro a ser batido.

 

Contudo, o domínio do 2002 nestes eventos não poderia durar sempre, e não durou. Tal como o 2002 rapidamente ultrapassou os Alfa Romeos que dominavam as pistas em meados da década de 60, também foi ultrapassado depois de 1972 pelos Ford Escort, embora os 2002's continuassem a competir e a ter óptimos resultados até ao fim da sua produção em 1976, nessa altura completamente ultrapassado.

 

Apesar de tudo, estava longe de ser o fim da carreira competitiva dos 2002. Com o emergir das competições de históricos, o 2002 e o seu domínio voltaram a surgir. Hoje mantém-se como um dos carros mais desejados para aqueles que se interessam por competições de históricos, e continua, muito bem a dar conta do recado nos circuitos.

[Voltar ao topo]

1968

 

O 2002 entrou de rompante nos eventos desportivos europeus durante 1968. O carro mostrou ser um sucesso, e no fim da época a BMW ganhou em duas categorias no European Touring Car Championship e no Eoropean Hillclimb Championship. Os 2002's arremataram 101 vitórias em eventos desportivos, 152 vitórias em eventos de categoria, e não menos de 1099 vitórias em provas de classe, e cerca de 996 medalhas de ouro. Isto foi excelente para a época de início do 2002 em 1968.

 

Em 1968 o 2002 correu no grupo 5 do European Touring Car Championship. Os pilotos de fábrica eram Dieter Quester e Hubert Hahne, ambos tinham conduzido antes os 1600-2, e foi Quester que se sagrou Campeão Europeu.

 

 

Todavia, o BMW 2002 ainda não tinha provado tudo logo no primeiro dia de competição em 68, de facto os carros de fábrica, não estiveram prontos para competir na primeira fase do campeonato em Monza, e uma lesão impediu Hahne de conduzir na segunda ronda em Viena. Mesmo assim, Quester conseguiu uma excelente vitória em Viena e conseguiu uma nova volta recorde do circuito. Conseguiu um terceiro lugar em Snetterton e segundo em Brno, uma vitória em Nurburgring na Alemanha (quando trocou para o segundo carro da equipa no meio da corrida) e um par de terceiros lugares em Zandvoort e Jarama. Lugares estes que foram suficientes para darem a Quester o título.

 

Mesmo nesta altura a equipa de fábrica da BMW, tinha relações saudáveis com as marcas Tuning. O segundo carro de fábrica, conduzido por Dieter Basche em Viena e por Hubert Hahne noutras ocasiões, tinha sido preparado pela Schnitzer. Também foi um 2002 perparado pela Schnitzer que teve sucesso no European Hillclimb Championship, sendo o seu condutor um engenheiro da BMW, chamado Ernst Furtmayr.

 

[Voltar ao topo]

1969

As regras do Grupo 5 do European Touring Car Championship foram modificadas, e até mesmo o Porsche 911 de 2 lugares conseguiu qualificar-se para a categoria, mesmo sendo a maioria dos carros de 4 lugares. Com o 911 em prova, a BMW apercebeu-se que tinha de desenvolver algo muito especial para renovar o título novamente, e é então que surge o 2002 turbo alimentado.

 

A capacidade do motor manteve-se standard para que o carro pudesse competir na classe de 2 litros. O turbo compressor aumentou a potência do carro de 210 CV para 280 CV, tendo sido necessário equipar o carro com pneus 245 à frente e 260 atrás, para manter a tracção.

 

Os 2002 turbo deram conta do recado, nos eventos de curta distância. O seu primeiro evento de longa distância foi as 6 horas de corrida Brands Hatch na Inglaterra, conseguindo 3 brilhantes vitórias, antes dos Porsche 911 conseguirem empatar, ganhando as 3 seguintes provas a meio da época. Dieter Quester, que tinha ganho as 3 primeiras corridas, voltou a ganhar em Jarama em Setembro, voltando a conquistar o título pelo segundo ano consecutivo.

 

Os Porsche 911 não eram os únicos que rivalizavam fortemente com os BMW 2002 turbo. Uma oposição muito forte era feita pelos tuning 2002 Alpina, que ainda tinham carburadores, quando tanto os 2002 Schnitzer como os 2002 preparados pela fábrica possuíam sistemas de injecção. A Alpina foi muito bem sucedida que até alcançou o segundo lugar no campeonato, à frente dos Porsche. Isto era uma demonstração clara da qualidade das modificações feitas pela Alpina.

 

Os 2002 Alpina também foram bem sucedidos na classe 2 litros do German Circuit Racing Championship durante a época de 1969, conduzido por Jurgen Neuhaus, mas foram os 2002 Schnitzer que sobressaíram. O 2002 tuning da Schnitzer conduzido por Ernst Furtmayr, ganhou outra vez o European Hillclim Championship. Furtmayr contrbuiu também para o 2002 Schnitzer ter um bom desempenho no German Circuit Racing Championship. A equipa Koepchen também corria com carros da Schnitzer, demonstrando o seu poderio, ganhando 23 corridas das 26 em que participaram. E finalmente o German Circuit Racing Championship foi ganho por Helmut Bein, que conduziu outro BMW 2002.

[Voltar ao topo]

1970

Houve em 1970, outra modificação das regras no European Touring Championship. Os carros com turbo não eram agora permitidos no Grupo 5, onde os BMW de fábrica ganharam em 1969. Cerca de 1000 exemplares de corrida foram vendidos. Falhando o Grupo 5, eles teriam de correr no Grupo 7. A BMW foi incapaz de ir ao encontro dos requisitos do Grupo 5 (embora o 2002 turbo tenha sido lançado uns anos mais tarde), e então a potência de 290 CV do turbo de 1970 pouco contribuiu à BMW. Como o 2002 tii - o próximo mais poderoso modelo 2002 - não tinha sucesso Grupo 5, a BMW decidiu não entrar com os carros de fábrica em 1970.

 

 

A Schnitzer, Koepchen e a Alpina, continuaram lá a lutar, mas não eram capazes de ultrapassar os Alfa Romeo de 2 litros, e foram mal sucedos no European Touring Championship. No German Circuit Racing Championship houve melhores resultados, quando o jovem Hans Stuck (o futuro campeão do mundo do Grupo C como piloto de fábrica da BMW, Ford e Porsche), ganhou a sua classe na segunda ronda com um 2002 ti. Contudo foi difícil para o 2002 não ter tido sucesso no German Circuit Racing Championship, pois a maioria dos participantes utilizavam 2002's. Nas 24 horas Nurburgring, por exemplo, onde Hans Stuck ganhou, nove dos 10 primeiros carros a terminarem a corrida, eram 2002 ti!

 

Fora dos circuitos, os 2002 continuaram a ser participantes fiáveis dos rallys. Helmut Bein, neste ano, tendo como parceiro Christoph Memel, ganhou o German Rally Championship pelo terceiro ano correndo com um 2002 ti Alpina.

[Voltar ao topo]

1971

O ano de 1971 não foi bom para as corridas automóveis em geral. Um número fatal de acidentes contribuiram para dar uma imagem negativa na Europa, e o piloto de fábrica da BMW, Hubert Hahne, esteve entre aqueles que quiseram terminar a carreira nas corridas automóveis, depois da morte do seu amigo Jochen Rindt. A classe 2 litros do European Touring Car Championship foi dominada pela Alfa Romeo e pelos novos Ford Escort, e os 2002's não foram recompensados com vitórias, apesar de terem dado bons espectáculos através da Alpina, Schnitzer e Koepchen.

 

 

[Voltar ao topo]

1972

Os Ford Escort 1600RS foram dominantes na classe 2 litros do European Touring Car Championship em 1972. Nessa altura os 2002, estavam ultrapassados, e nesse ano o esforço da fábrica estava direccionado para os coupés de 6 cilindros.

 

Contudo os 2002 continuaram a ganhar nos rallys. Achim Warmbold, o Campeão do Mundo de Rally de 1971, conduziu o seu 2002 Alpina ao terceiro lugar do Rally da Acropolis e ganhou o TAP Rally em Portugal, que contavam ambos para o World Rally Championship. Perto de casa, Rainer Zweibnumer ganhou o German Rally Championship, também ao volante de um 2002 Alpina.

[Voltar ao topo]

1973

Os organizadores do European Touring Car Championship mudaram as regras novamente em 1973. Desta vez, para prevenir que a Ford não dominasse completamente o evento com os seus Escort's, tirando assim o interesse da prova. Os motores de 4 válvulas eram agora permitidos, com a condição de que 100 exemplares dos seus motores especiais de 6 cilindros fossem construídos para venda. Então a BMW para concorrer com os Ford Escort de fábrica, desenvolveu uma versão de 4 válvulas do motor 2 litros.

 

Baseado no antigo motor de corrida 1.6 litros Formula 2, o motor de 4 válvulas possuía 280 CV às 9000RPM. A Schnitzer também desenvolveu um motor de 4 válvulas , que era ligeiramente diferente da versão de fábrica da BMW. Durante a época de 1973 , Dieter Basche e Helmut Kelleners mantiveram pressão aos Ford de fábrica, forçando-os a lutar arduamente por cada vitória, mantendo a BMW a decisão do campeonato até às últimas provas da época. Dieter Basche teve de se contentar com o terceiro lugar no campeonato, mas os 4 válvulas tinham demonstrado que os 2002 ainda  tinham muito para oferecer como uma máquina de competição.

 

A BMW também fez entrar dois 2002 ti no World Rally Championship em 1973, com os pilotos Achim Warmbold e Bjorn Waldegaard. Ambos os carros utilizavam motores Schnitzer de 4 válvulas. Os motores da Schnitzer eram mais utilizados nos rallys do que os de fábrica, porque davam um melhor torque, necessário para os Rallys.

 

[Voltar ao topo]

1974

O fim de 1973 ficou marcado pela crise do petróleo, e os eventos desportivos foram afectados por isso. Para 1974, a BMW analisou de forma prudente a sua presença nos campeonatos, e decidiu não participar como equipa de fábrica. A Ford saiu da competição depois da primeira ronda do European Touring Car Championship. Contudo, ambos os BMW e Fords permaneceram nos circuitos, para fazer manter algum entusiasmo das "batalhas" do ano anterior.

 

Os carros de competição não representavam as equipas de fábrica, claro. As cores da Ford eram defendidas pela equipa Zackspeed, que corria com Escort's, sendo as cores da BMW defendidas este ano pela GS. O líder da equipa da BMW era Dieter Basche, mas foi o seu companheiro de equipa Jorg Obermoser que levou o GS 2002 ao segundo lugar do European Touring Car Championship. O vencedor foi o Escort da Zackspeed.

 

 

 

[Voltar ao topo]

1975

Os 2002 em 1975 foram vistos nos circuitos novamente, principalmente no German Touring Car Championship. Contudo, o melhor que conseguiram alcançar foi o quarto lugar na sua classe, nas mãos de Jorg Obermoser. Os Fords ganharam outra vez. No German Hillclimb Championship, Walter Struckmann atingiu o quarto lugar com o seu 2002.

[Voltar ao topo]

1976

A produção de BMW's 2002, cessou em 1976, e nesta época seria a última em que participavam com a benção da fábrica. O carro nesta altura, já não era um vencedor, embora tenha conseguido alguns bons resultados. Jorg Obermoser começou bem a época, com uma vitória em Nurburgring na primeira ronda do European Touring Car Championship, mas não conseguiu melhor que segundos e terceiros lugares no resto da época.

 

Enquanto isso, no German Circuit Racing Championship, Andreas Schall foi segundo com um 2002 Schnitzer. Walter Struckmann mais uma vez, foi quarto com o seu 2002 no German Rally Championship.

 

[Voltar ao topo]

1977

Paradoxalmente, 1977 provou ser outro ano interessante para o 2002 nas competições. O novo 320 tinha substituído o 2002 nas corridas apoiadas pela fábrica, mas as regulamentações para o European Touring Car Championship mudaram outra vez, permitindo mais uma vez os motores turbo, e a Schnitzer desenvolveu um 2002 turbo. Era uma máquina notável, que tinha 400 CV. Infelizmente, o carro não viveu o suficiente para correr no ano seguinte.

 

[Voltar ao topo]

1978-1979

À medida que a década de 70 terminava, os privados continuavam a entrar nas corridas com os seus 2002's, embora sem um sucesso espectacular. Em termos de corrida, os carros estavam agora velhos, e são uma medida das suas habilidades que permaneceram em uso por muito tempo. Contudo os profissionais mudaram para os novos modelos, e número de 2002's em competição diminuiu nos 5 anos seguintes.

 

[Voltar ao topo]

 

[Voltar ao topo]

 

 

 

© BMW 2002 WEB SITE - Todos os direitos reservados

 

 

website statistics

BMW 2002 WS Stats